Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Gripe suína:Informações sobre o vírus Influenza

Com o aumento do número de casos da gripe suína, já são 73 casos confirmados até o momento, o surto já atinge 4 países, México, EUA, Canadá e Espanha.
A Organização Mundial de Saúde já elevou o nível de alerta de pandemia para 4 para o nível máximo,de uma escala crescente que vai até 6.O vírus da gripe suína clássico foi isolado pela primeira vez num porco em 1930.
Como todos os vírus de gripe, os suínos também mudam constantemente. Os porcos podem ser infectados por vírus de gripe aviária e humana. Quando todos contaminam o mesmo porco, pode haver mistura genética e novos vírus que são uma mistura de suíno, humano e aviário podem aparecer. Os vírus são classificados de acordo com as proteínas de superfície mais significativas que são a hemaglutinina(H) e a neuraminidase(N). No momento, há quatro classes principais de Influenza do tipo A são H1N1, H1N2, H3N2 e H3N1.
Ele é diferente do H1N1 totalmente humano que circula nos últimos anos, por conter material genético dos vírus humanos, de aves e suínos, incluindo elementos de vírus suínos da Europa e da Ásia.
Esses vírus normalmente não infectam humanos,sendo transmitidos na maioria das vezes quando há contato de humanos com porcos,mas não há registro de que o mesmo tenha acontecido no atual surto.
A transmissão está sendo da mesma forma que a gripe comum: por via aérea, contato direto (por meio de espirros e tosse) com o infectado, ou indireto (através das mãos) com objetos contaminados.
De acordo com a OMS e o CDC (Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA) os vírus não são transmitidos pela comida, ao cozinhar a carne de porco a 70 graus Célsius, eles são completamente destruídos, impedindo qualquer contaminação.
Os sintomas são parecidos aos de uma gripe comum e incluem febre acima de 38°C, falta de apetite, letargia, dor de garganta, dispnéia e tosse.
Algumas pessoas com gripe suína também apresentaram cefaléia, coriza, garganta seca, náusea, diarréia, artralgia e mialgia. O período de incubação pode ser de 3 dias a 7 dias, sendo que o período de transmissibilidade começa um dia antes dos sintomas e perdura por mais sete a dez dias.
As crianças (menores de 12 anos de idade) infectadas podem eliminar o vírus da influenza desde um dia antes até14 dias após o início dos sintomas.
Investiga-se se essa nova variante teria um maior poder de ataque aos pulmões. Entretanto, de forma geral, a doença de duração de 2 a 3 dias e a principal complicação é a pneumonia, seja viral, bacteriana ou combinando os dois componentes.
A gripe comum mata entre 250 mil e 500 mil pessoas a cada ano, principalmente entre a população mais velha. A maioria das pessoas morre de pneumonia, e a gripe pode matar por razões ainda desconhecidas. Também pode piorar infecções por bactérias.
A maioria dos mortos da gripe suína tinha entre 25 e 45 anos, mas potencialmente qualquer pessoa está sujeita a contrair a gripe suína, uma vez que o vírus já está circulando pelo território nacional, há indivíduos que se encaixam nos chamados grupos de risco e que são, portanto, mais suscetíveis a terem complicações decorrentes do contágio pelo vírus influenza A (H1N1), são eles:
- Crianças com idade inferior a 02 ou adultos com idade superior a 60 anos de idade;
- Pessoas imunodeprimidas: por exemplo, pacientes com câncer, em tratamento para aids ou em uso regular de medicação imunossupressora;
- Pessoas com doenças crônicas: por exemplo, hemoglobinopatias, diabetes mellitus; cardiopatias,
pneumopatias e doenças renais crônicas;
- Gestantes.
- Obesos mórbidos.
O diagnóstico é feito através da análise laboratorial (técnica RT-PCR) de uma amostra respiratória coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus. Entretanto, algumas pessoas, principalmente crianças, podem espalhar o vírus por dez dias ou mais.
A maioria das pessoas infectadas apresentarão sintomas brandos e terão um tratamento apenas sintomático, mas para casos específicos as drogas antivirais inibidoras da neuraminidase, zanamivir (nome comercial:Relenza) e oseltamivir (nome comercial:Tamiflu) que já foram utilizadas contra a gripe aviária, mostraram eficácia ao tratar ou ajudar na prevenção de infecção com vírus da gripe suína. Mas para que o tratamento seja eficiente o início dos agentes antivirais deverá ser dentro de 48 horas do início dos sintomas.
Algumas recomendações servem para evitar a doença:
- Cubra seu nariz e boca com um lenço quando tossir ou espirrar. Jogue no lixo o lenço após o uso.
- Lave suas mãos constantemente com água e sabão, especialmente depois de tossir ou espirrar. Produtos à base de álcool para limpar as mãos também são efetivos.
- Evite tocar seus olhos, nariz ou boca. Os germes se espalham deste modo.
- Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.
- Evitar locais com aglomeração de pessoas.

- Evite contato próximo com pessoas doentes.
- Se você ficar doente, fique em casa e limite o contato com outros, para evitar infectá-los.
As vacinas normais contra a gripe são alteradas todos os anos para incluir imunização contra novas variedades de vírus. Segundo as autoridades mexicanas, que citam a Organização Mundial de Saúde (OMS), a vacina existente para humanos é para uma cepa anterior ao vírus, com o qual não é tão eficaz. Mas como os casos confirmados de mortes atingiram adultos, é possível que as pessoas mais vulneráveis –crianças e idosos– tenham se beneficiado por serem alvo de vacinação mais regularmente que os adultos jovens.
No Brasil duas pessoas com suspeitas de estarem infectadas foram internadas no Instituto de Infectologia Emílio Ribas em São Paulo,mas já foram descartados.O diagnóstico de um era dengue e o outro sinusite.
Aos viajantes procedentes, nos últimos 10 dias, de áreas com casos confirmados de influenza suína em humanos e que apresentem algum sintoma de gripe, devem procurar assistência médica na unidade de saúde mais próxima.

Atualização às 22:56
- Algumas pessoas estão utilizando serviços de mapas para demonstrar o avanço da doença.
- Até o momento o Ministério da Saúde está acompanhando o estado de saúde de 11 viajantes procedentes de áreas afetadas que apresentaram alguns sintomas clínicos. São três em Minas Gerais, dois no Rio de Janeiro, dois no Amazonas, dois no Rio Grande do Norte, um em São Paulo e um no Pará.Mas essas pessoas ainda não preenchem a definição de caso suspeito conforme os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Atualização 28/04/2009 às 13:38
- A doença, só provocou a morte em pessoas no México, mas há casos confirmados também em pacientes nos EUA (52), no Canadá (6), na Espanha (2), na Escócia (2), na Nova Zelândia (3) e em Israel (2).
- No Brasil são três casos suspeitos em Minas Gerais; dois no Rio de Janeiro; dois no Amazonas; dois no Rio Grande do Norte; um em São Paulo, um no Pará e um na Bahia.
às 15:44
- Costa Rica registra seu 1º caso.

Atualização 03/05/2009 às 01:40
- A Organização Mundial de Saúde (OMS) aumentou de 615 para 658 o número de casos confirmados de gripe suína no mundo.
- No México já foram comprovadas 16 mortes e uma morte nos EUA.
- Até agora foram identificadas pessoas infectadas com o vírus no Canadá (51), Reino Unido (15), Espanha (13), Alemanha (6), Nova Zelândia (4), Israel (2), França (1), China (1), Costa Rica (1), Dinamarca (1), Holanda (1), Coréia do Sul (1), Áustria (1) e Suíça (1).
- No Brasil já são 6 casos suspeitos em São Paulo (6), Rio de Janeiro (4), Minas Gerais (3) e Espírito Santo (1).

Atualização 07/05/2009 às 21:00
- A OMS mantém o nível 5 na escala de alerta de pandemia.
- Até agora 44 pessoas morreram - 42 no México e 2 nos EUA. No México já existem 1.112 casos confirmados em laboratório, e nos EUA, 642.
- Já foram identificadas pessoas infectadas com vírus na Áustria (1), Canadá (201), Hong Kong (1), Colômbia (1), Costa Rica (1), Dinamarca (1), El Salvador (2), França (5), Alemanha (9), Guatemala (1), Irlanda (1), Israel (4), Itália (5), Holanda (1), Nova Zelândia (5), Portugal (1), Coreia do Sul (2), Espanha (73), Suécia (1), Suíça (1) e Reino Unido (28, sendo 2 na Escócia e 26 na Inglaterra).

Atualização 07/06/2009 às 02:13
- Os casos registrados no Brasil até o momento são:São Paulo (15), Rio de Janeiro (8), Santa Catarina (5), Mato Grosso (2), Tocantins (3), Minas Gerais (1) e Rio Grande do Sul (1).

Atualização 04/07/2009
-No Brasil já são 756 casos confirmados com 1 morte no Rio Grande do Sul.

Atualização 24/07/2009
- De acordo com a OMS a pandemia da gripe H1N1 já se espalhou para cerca de 160 países, matando cerca de 800 pessoas.

Atualização 27/07/2009
- No Brasil a gripe A H1N1 já matou 20 pessoas no Estado de São Paulo, 16 no Rio Grande do Sul, cinco no Rio de Janeiro e quatro no Paraná.

Atualização 31/07/2009
- Até agora já morreram devido a gripe suína no Brasil, 37 pessoas no Estado de São Paulo, 20 no Rio Grande do Sul, nove no Rio de Janeiro e quatro no Paraná.

Atualização 09/08/2009
- No Brasil o número de casos confirmados chegou a 2.959 com 169 mortes.O estado com mais mortes é São Paulo com 69,seguido por Rio Grande do Sul (33), Paraná (31), Rio de Janeiro (19), Santa Catarina (3), Bahia (1), Pernambuco (1) e Paraíba (1).


Mais informações sobre a gripe suína


Share/Save/Bookmark

4 Pareceres:

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

no peso em que estou tenho que tomar cuidado

se espirrar em público a negada pensa que sou uma leitoa e me sangra

Leandro disse...

Mto legal o post ... super informativo ... Parabéns doutora ...

Tiago Dadazio disse...

VAMO FUGIR DESSA GRIPE!

Anônimo disse...

Muito bom o seu blog gostei muito e é daki que eu vou tirar o meu trabalho escola pode apostar esse assunto entereça mais acho que vc deve falar um pouco sobre a gripe no brasil(Mais)

Postar um comentário

©2008-2011 Mediskina: Aqui a gente brinca mas ensina Medicina | by Carolina Rosa

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO