Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Anatomia em 3D

Este é um site interessante que eu encontrei e que contém um atlas com ótimas imagens em 3D.
Anatomia de todo o corpo humano: imagens médicas(TC) e fotos

Confiram...

e-Anatomy


Site disponível em inglês,espanhol,francês,alemão,japonês e chinês simplificado, mas vale a pena pelas imagens.

Continue lendo >>

Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Os 10 Mandamentos dos Médicos do SUS

É velho, mas algumas pessoas que recebem esse texto por e-mail infelizmente acham que nos valemos desses mandamentos na prática médica...


Os 10 Mandamentos dos Médicos do SUS

1 - Se você não sabe o que tem, dê VOLTAREN
2 - Se você não sabe o que viu, dê BENZETACIL
3 - Apertou a barriga e fez 'ahn', dê BUSCOPAN
4 - Caiu e passou mal, dê GARDENAL
5 - Tá com uma dor bem grandona? Dê DIPIRONA
6 - Se você não sabe o que é bom, dê DECADRON
7 - Vomitou tudo o que ingeriu, dê PLASIL
8 - Se a pressão subiu, dê CAPTOPRIL
9 - Se a pressão deu mais uma grande subida, dê FUROSEMIDA
10 - Chegou morrendo de choro, passe um SORO

Os mandamentos em UTI

1- Pra não contrariar o chefe, MAXCEF!
2- Se a sedação ninguém decide, DORMONID!
3- Se a pressão mais do que subiu, TRIDIL!
4- Se mesmo assim a pressão ainda não regride, NIPRIDE!
5- Já sedou e o processo de intubação não tá nada bom, PANCURON!

E mais:Arritmia doidona, dê AMIODARONA...
Pelo não, pelo sim, dê ROCEFIN.
NÃO ESQUECENDO QUE O DIAGNÓSTICO É QUASE SEMPRE, VIROSE!!!

Continue lendo >>

Share/Save/Bookmark

domingo, 18 de janeiro de 2009

Protocolo de Condutas para Diagnóstico e Tratamento da Dengue

Protocolo do Ministério da Saúde para o Diagnóstico e Tratamento da Dengue

Continue lendo >>

Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Ah o Verão...Ih a Dengue!!!

Ainda tocando no assunto das doenças mais incidentes no Verão, vou discorrer um pouco sobre a Dengue,assunto mais que batido nesta época do ano, mas que nunca é demais relembrar...

DENGUE

INTRODUÇÃO
A identificação precoce dos casos é de vital importância para tomar
decisões e implementar medidas de maneira oportuna, visando principalmente
o controle da doença. A organização dos serviços de saúde tanto na
área de vigilância epidemiológica quanto na prestação de assistência médica
é essencial para reduzir a letalidade das formas graves e conhecer o comportamento
da dengue, sobretudo em períodos de epidemia.

ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS
A dengue é uma doença febril aguda, de etiologia viral e de evolução benigna na forma clássica, e grave quando se apresenta na forma hemorrágica. A dengue é, hoje, a mais importante arbovirose (doença transmitida por artrópodes) que afeta o homem e constitui-se em sério problema de saúde pública no mundo, especialmente nos países tropicais, onde as condições do meio ambiente favorecem o desenvolvimento e a proliferação do Aedes aegypti, principal mosquito vetor.


AGENTE ETIOLÓGICO
O vírus da dengue é um arbovírus do gênero Flavivírus, pertencente à família Flaviviridae.
São conhecidos quatro sorotipos: 1, 2, 3 e 4.

VETORES HOSPEDEIROS
Os vetores são mosquitos do gênero Aedes. Nas Américas, a espécie Aedes aegypti é a responsável pela transmissão da dengue. Outra espécie, Aedes albopictus, embora presente
no Brasil, ainda não tem comprovada sua participação na transmissão, embora na Ásia seja um importante vetor.

MODO de TRANSMISSÃO
A transmissão se faz pela picada do Aedes aegypti, no ciclo homem - Aedes aegypti - homem. Após um repasto de sangue infectado, o mosquito fica apto a transmitir o vírus, depois de 8 a 12 dias de incubação. A transmissão mecânica também é possível, quando o repasto é interrompido e o mosquito, imediatamente, se alimenta num hospedeiro suscetível próximo. Não há transmissão por contato direto de um doente ou de suas secreções com uma pessoa sadia, nem de fontes de água ou alimento.

PERÍODO de INCUBAÇÃO
Varia de 3 a 15 dias, sendo, em média, de 5 a 6 dias.

PERÍODO de TRANSMISSIBILIDADE
A transmissão ocorre enquanto houver presença de vírus no sangue do homem (período de viremia). Este período começa um dia antes do aparecimento da febre e vai até o 6º dia da doença.

ASPECTOS CLÍNICOS
Descrição: a infecção por dengue causa uma doença cujo espectro inclui desde infecções inaparentes até quadros de hemorragia e choque, podendo evoluir para o êxito letal.
Dengue clássica: o quadro clínico é muito variável. A primeira manifestação é a
febre alta (39° a 40°), de início abrupto, seguida de cefaléia, mialgia, prostração, artralgia, anorexia, astenia, dor retroorbital, náuseas, vômitos, exantema e prurido cutâneo. Hepatomegalia dolorosa pode ocorrer, ocasionalmente, desde o aparecimento da febre. Alguns aspectos clínicos dependem, com freqüência, da idade do paciente. A dor abdominal generalizada pode ocorrer, principalmente nas crianças. Os adultos podem apresentar pequenas manifestações hemorrágicas, como petéquias, epistaxe, gengivorragia, sangramento gastrointestinal, hematúria e metrorragia. A doença tem uma duração de 5 a 7 dias. Com o
desaparecimento da febre, há regressão dos sinais e sintomas, podendo ainda persistir a fadiga.
Febre Hemorrágica da Dengue (FHD):os sintomas iniciais são semelhantes aos da dengue clássica, porém evoluem rapidamente para manifestações hemorrágicas e/ou derrames cavitários e/ou instabilidade hemodinâmica e/ou choque. Os casos típicos da FHD são caracterizados por febre alta, fenômenos hemorrágicos, hepatomegalia e insuficiência
circulatória. Um achado laboratorial importante é a trombocitopenia com hemoconcentração concomitante. A principal característica fisiopatológica associada ao grau de severidade da FHD é a efusão do plasma, que se manifesta através de valores crescentes do hematócrito e da hemoconcentração.
Entre as manifestações hemorrágicas, a mais comumente encontrada é a prova do laço positiva. A prova do laço consiste em se obter, através do esfignomanômetro, o ponto médio entre a
pressão arterial máxima e mínima do paciente, mantendo-se esta pressão por 5 minutos; quando positiva aparecem petéquias sob o aparelho ou abaixo do mesmo. Se o número de petéquias for de 20 ou mais em um quadrado desenhado na pele com 2,3 cm de lado, essa prova é considerada fortemente positiva. Nos casos graves de FHD, o choque geralmente ocorre entre o 3º e 7º dia de doença, precedido por um ou mais sinais de alerta. O choque é decorrente do aumento da
permeabilidade vascular seguido de hemoconcentração e falência circulatória. É de curta duração e pode levar ao óbito em 12 a 24 horas ou à recuperação rápida após terapia anti-choque apropriada.

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
Dengue clássica: considerando que a dengue tem um amplo espectro clínico, as principais doenças a serem consideradas no diagnóstico diferencial são: gripe, rubéola, sarampo e outras infecções virais, bacterianas e exantemáticas.
Febre Hemorrágica da Dengue - FHD: no início da fase febril, o diagnóstico diferencial deve ser feito com outras infecções virais e bacterianas e, a partir do 3º ou 4º dia, com choque endotóxico decorrente de infecção bacteriana ou meningococcemia.
As doenças a serem consideradas são: leptospirose, febre amarela, malária, hepatite infecciosa, influenza, bem como outras febres hemorrágicas transmitidas por mosquitos ou carrapatos.

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL
Exames Específicos
A comprovação laboratorial das infecções pelo vírus da dengue faz-se pelo isolamento do agente ou pelo emprego de métodos sorológicos - demonstração da presença de anticorpos da classe IgM em única amostra de soro ou aumento do título de anticorpos IgG em amostras
pareadas (conversão sorológica).
Isolamento: é o método mais específico para determinação do sorotipo responsável pela infecção. A coleta de sangue deverá ser feita em condições de assepsia, de preferência no terceiro ou quarto dia do ínicio dos sintomas. Após o término dos sintomas não se deve coletar sangue para
isolamento viral.
Sorologia: os testes sorológicos complementam o isolamento do vírus e a coleta de amostra de sangue deverá ser feita após o sexto dia do início da doença.
Obs.: não congelar o sangue total, nem encostar o frasco diretamente no gelo para evitar hemólise. Os tubos ou frascos encaminhados ao laboratório deverão ter rótulo com nome completo do paciente e data da coleta da amostra, preenchido a lápis para evitar que se torne ilegível ao contato com a água.

EXAMES INESPECÍFICOS
Dengue clássica:
Hemograma: a leucopenia é achado usual, embora possa ocorrer leucocitose. Pode estar presente linfocitose com atipia linfocitária.A trombocitopenia é observada ocasionalmente.
Febre Hemorrágica da Dengue - FHD:
Hemograma: a contagem de leucócitos é variável, podendo ocorrer desde leucopenia até leucocitose leve. A linfocitose com atipia linfocitária é um achado comum. Destacam-se a
concentração de hematócrito e a trombocitopenia (contagem de plaquetas abaixo de 100.000/mm3).
Hemoconcentração: aumento de hematócrito em 20% do valor basal (valor do hematócrito anterior à doença) ou valores superiores a 38% em crianças, a 40% em mulheres e a 45%
em homens).
Trombocitopenia: contagem de plaquetas abaixo de 100.000/mm3.
Coagulograma: aumento nos tempos de protrombina, tromboplastina parcial e trombina. Diminuição de fibrinogênio, protrombina, fator VIII, fator XII, antitrombina e α antiplasmina.
Bioquímica: diminuição da albumina no sangue, albuminúria e discreto aumento dos testes de função hepática: aminotransferase aspartato sérica (conhecida anteriormente por transaminase glutâmico-oxalacética - TGO) e aminotransferase alanina sérica (conhecida anteriormente por transaminase glutâmico pirúvica - TGP).

TRATAMENTO
Dengue clássica: não há tratamento específico. A medicação é apenas sintomática, com analgésicos e antitérmicos (paracetamol e dipirona). Devem ser evitados os salicilatos e os antiinflamatórios não hormonais, já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas e acidose. O paciente deve ser orientado a permanecer em repouso e iniciar hidratação oral.
Febre Hemorrágica da Dengue - FHD: os pacientes devem ser observados cuidadosamente para
identificação dos primeiros sinais de choque. O período crítico será durante a transição da fase febril para a afebril, que geralmente ocorre após o terceiro dia da doença. Em casos menos graves, quando os vômitos ameaçarem causar desidratação ou acidose, ou houver sinais de hemoconcentração, a reidratação pode ser feita em nível ambulatorial.

SINAIS DE ALERTA
dor abdominal intensa e contínua; vômitos persistentes; hepatomegalia dolorosa; derrames cavitários; sangramentos importantes; hipotensão arterial (PA sistólica ≤ 80 mm Hg em <> 5 anos); diminuição da pressão diferencial (diferença entre PA sistólica e PA diastólica ≤ 20 mm Hg); hipotensão postural (diferença entre PA sistólica sentado e PA sistólica em pé > 10 mm Hg); diminuição da diurese; agitação; letargia; pulso rápido e fraco; extremidades frias; cianose; diminuição brusca da temperatura corpórea associada à sudorese profusa; taquicardia; lipotimia; e aumento repentino do hematócrito.



Aos primeiros sinais de choque, o paciente deve ser internado imediatamente para correção rápida de volume de líquidos perdidos e da acidose. Durante uma administração rápida de fluidos é particularmente importante estar atento a sinais de insuficiência cardíaca.



Continue lendo >>

Share/Save/Bookmark

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Descrição da Função do Anestesista

video

Continue lendo >>

Share/Save/Bookmark

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Atendimento Pré-Hospitalar II

Se você já fez algum curso ou apenas quer testar seus conhecimentos em APH este site da UFF é ótimo!!!




Continue lendo >>

Share/Save/Bookmark

Atendimento Pré-Hospitalar

Se você tem vontade de trabalhar como socorrista, no atendimento pré-hospitalar ou apenas obter informações sobre o assunto vou postar 2 sites interessantes que contém informações,links e cursos.

Anjos APH






        Socorristas de Plantão

        Continue lendo >>

        Share/Save/Bookmark

        quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

        Jeitos de Caçar

        Piada velha, mas engraçada...

        Jeitos de Caçar

        Cinco amigos médicos resolveram organizar uma caçada. Quando chegou a manhã do dia combinado, o ANESTESIOLOGISTA começou a telefonar para os demais. "Gente, o tempo está nublado, o vento está meio frio...é melhor suspender o passeio!"Com muito custo, conseguiram convencer o anestesiologista a levar o plano adiante.Começaram o passeio. Lá pelas tantas, avistam um pássaro voando à distância. O CLÍNICO arrisca: "Tem bico de pato... Tem pena de pato... Tem pés de pato... grasna como um pato... Será um pato???". O CIRURGIÃO interrompe o clínico, gritando para o RESIDENTE: "Vamos!!! Atira logo!!! Rápido!!". Este pega a arma mais próxima e atira desajeitadamente no bicho, que cai arrebentado no chão.Quando o bicho é abatido, a PEDIATRA fala:Ai, tadinho do patinho. Tão bonitinho.E o PSIQUIATRA:-Mas isso pode ser um ganso com complexo de pato. Chegando lá, o residente não consegue identificar o bicho, e pede a opinião do PATOLOGISTA. O sujeito dá uma olhada e sentencia: "Material insuficiente!".

        Continue lendo >>

        Share/Save/Bookmark

        sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

        Lenda dos Médicos

        O Ano Novo chegou e eu voltarei no tempo, para contar como se deu a liberação do conhecimento médico por Deus.

        Lenda dos Médicos

        Conta a lenda que quando Deus liberou para os homens o conhecimento médico,determinou que aquele saber ficaria restrito a um grupo pequeno e selecionado.Mas neste pequeno grupo, onde todos se achavam semideuses, havia aquele que trairia as determinações divinas.Deus bravo com a traição resolveu fazer valer os seguintes mandamentos:

        1-Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental
        2-Não verás teu filho crescer
        3-Não terás feriado, finais de semana ou qualquer outro tipo de folga
        4-Terás gastrite, se tiveres sorte. Se for como os demais terás úlcera
        5-A pressa será teu único amigo e as tuas refeições principais serão os lanches, as pizzas e o china in box
        6-Os teus cabelos ficarão brancos antes do tempo, isso se te sobrarem cabelos
        7- Tua sanidade mental será posta em cheque antes que completes 5 anos de trabalho
        8-Dormir será considerado período de folga, logo não dormirás
        9-Trabalho será teu assunto preferido, talvez o único
        10-A máquina de café será tua melhor colega de trabalho, porém a cafeína não te fará mais efeito
        11- Happy hours serão excelentes oportunidades de ter algum tipo de contato com outras pessoas loucas como você
        12-Terás sonhos com pacientes, e não raro, resolverás problemas de trabalho neste período de sono
        13-Exibirás olheiras como troféu de guerra
        14-E o pior ... Inexplicavelmente gostarás de tudo isso!

        Continue lendo >>

        Share/Save/Bookmark

        ©2008-2011 Mediskina: Aqui a gente brinca mas ensina Medicina | by Carolina Rosa

          ©Template by Dicas Blogger.

        TOPO