Seja bem-vindo. Hoje é

domingo, 5 de julho de 2009

O Avanço do Vírus da Nova Gripe Influenza A H1N1

influenza-virus Com a chegada do inverno no hemisfério Sul aumenta o número da casos da Influenza Sazonal(gripe comum),que pode ser confundida com a nova gripe e depois da primeira morte por gripe suína,o temor da população e o medo aumentaram,sem informação algumas pessoas acabam achando que estão infectadas pelo vírus da gripe A ,mesmo sem ter nenhum indício plausível para isso e acabam por procurar os centro de referência para o tratamento da gripe A,sobrecarregando estes serviços.

De acordo com o Ministério da Saúde(MS) é considerado um caso suspeito uma pessoa que apresentar doença aguda de início súbito, com febre - ainda que referida - acompanhada de tosse ou dor de garganta, na ausência de outros diagnósticos, podendo ou não estar acompanhada de outros sinais e sintomas como cefaléia, mialgia, artralgia ou dispnéia,vinculados aos itens A e ou B abaixo:
A. Ter retornado, nos últimos 7 dias, de países com casos confirmados de infecção pelo novo vírus A (H1N1); OU
B. Ter tido contato próximo, nos últimos 7 dias, com uma pessoa classificada como caso suspeito ou confirmado de infecção humana pelo novo vírus influenza A(H1N1).

No Brasil, até ontem dia 4 de Julho,já existem 812 casos confirmados da doença:Amapá(1);Alagoas(5);Amazonas(1);Bahia(8);Ceará(4);Distrito Federal(31);Espírito Santo(11);Goiás(7);Maranhão(2);Mato Grosso(4);Mato Grosso do Sul(5);Minas Gerais(90);Pará(2);Paraná(30);Paraíba(2);Pernambuco(8);Piauí(5);Rio de Janeiro(91);Rio Grande do Norte(1);Rio Grande do Sul(102-com 1 morte);Santa Catarina(54);São Paulo(338);Sergipe(5);Tocantins(5).

Perfil Epidemiológico dos Casos no Brasil

Até 3 de julho, dos 756 casos confirmados, 454 (60,1%) foram de pessoas que se infectaram no exterior e 177 (23,4%), de transmissão autóctone (ocorrida dentro do território nacional). Outros 125 casos permaneciam em investigação.
Os principais locais de provável infecção dos casos importados foram Argentina (287 casos), Estados Unidos (88) e Chile (42).
Todos os casos autóctones têm vínculos epidemiológicos com pacientes procedentes do exterior. Desse modo, o Ministério da Saúde considera que, até o momento, a transmissão no Brasil é limitada, sem evidências de sustentabilidade da transmissão do vírus de pessoa a pessoa.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde já são 93268 casos confirmados da doença em 116 países,com 412 mortes e taxa de letalidade mundial de 0,42% (intervalo: 0,06% a 2,11%) no Brasil é de 0,11%.

O Ministério da Saúde anunciou no dia 03 de Julho mudanças nas recomendações para realização de exames e indicação de tratamento.

A principal recomendação para os pacientes é que, ao sentirem sintomas como febre, tosse, mialgia, coriza e odinofagia, procurem o serviço de saúde mais próximo.
Se os sintomas forem leves, o médico fará as recomendações necessárias para isolamento domiciliar, período de afastamento de trabalho e vai prescrever o tratamento dos sintomas. Nesses casos, não será feita confirmação por exame laboratorial.
Se o quadro clínico inspirar cuidados ou for grave, indicando necessidade de internação, o paciente será encaminhado para um dos 68 hospitais de referência.

Outra mudança ocorreu na recomendação para exames laboratoriais,agora a confirmação da nova gripe por exame laboratorial será feita nos casos graves ou em amostras, no caso de surtos localizados. Não serão mais realizados exames em todas as pessoas com sintomas de gripe. Isso porque, um percentual significativo – mais de 70% – das amostras de casos suspeitos analisadas em dois laboratórios de referência (Fiocruz/RJ e Adolf Lutz/SP), nos últimos dois meses, não era influenza (gripe), mas outros vírus respiratórios.

O critério para receber o medicamento fosfato de oseltamivir também mudou,visando promover o uso racional do antiviral e evitar que o vírus desenvolva resistência, o medicamento só será dado aos pacientes com agravamento do estado de saúde nas primeiras 48 horas desde o início dos sintomas. Vale destacar que três países já informaram à OMS casos de resistência ao medicamento (Dinamarca, Japão, Canadá e Hong Kong).

Os indivíduos que compõem o grupo de risco para complicações de influenza requerem – obrigatoriamente – avaliação e monitoramento clínico constante de seu médico, para indicação ou não de tratamento com oseltamivir; além da adoção de todas as demais medidas terapêuticas.
Esse grupo de risco é composto por: idosos acima de 60 anos, crianças menores de dois anos, gestantes, pessoas com deficiência imunológica (pacientes com câncer, em tratamento para aids ou em uso regular de corticosteróides), hemoglobinopatias (doenças provocadas por alterações da hemoglobina, como a anemia falciforme), diabetes, doença cardíaca, pulmonar ou renal crônica.

Mais Informações sobre a nova gripe A (H1N1)(outrora denominada gripe suína)

Fontes:
Ministério da Saúde
Organização Mundial da Saúde
Atlas de Influenza A(H1N1) nas Américas

Telefone e links:
Disque Saúde: 0800-61-1997
Portal da Influenza
Secretaria de Vigilância em Saúde
ANVISA
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Atualização 09/08/2009
- No Brasil o número de casos confirmados chegou a 2.959 com 169 mortes.O estado com mais mortes é São Paulo com 69,seguido por Rio Grande do Sul (33), Paraná (31), Rio de Janeiro (19), Santa Catarina (3), Bahia (1), Pernambuco (1) e Paraíba (1).


Share/Save/Bookmark

12 Pareceres:

Clip Emoção disse...

Ate hoje não achei um Blog que fosse tão util na nossa vida como esse parabéns e pbrigado pelo comentarios no meu blog !

Saulo Lopes disse...

Oxe, que esse vírus vá pra bem longe, que achem a vacina imunologica logo, e que acabem com ele.


Muito bom o teu blog.

Visite-me se o meu e fique a vontade pra comentar :)

http://saulolopes.blogspot.com

Abraço

Ogrude disse...

Gostei do post, pois assim informa melhor quem está com dúvidas sobre essa nova gripe. Porém acho que tem muita gente fazendo tempestade em copo d'água, pois essa gripe mata na mesma proporção que a gripe comum.

Carolina Rosa MD disse...

A informação é a melhor forma de combater esse medo muitas vezes desnecessária da população,por isto este já é o meu 3º post sobre a nova gripe.

Obrigada pelos comentários e elogios!
Voltem sempre!

Júlio Oliveira disse...

Gostei muito do se uBlog, informações necessárias e de uam forma diferente.

JaCoNa disse...

Eu tenho um medo da porra de pegar essa gripe, vey!!
Gostei da iniciativa...o blog eh mtu legal! Parabéns ;)

Contamine-se e Espalhe disse...

Ótimo esse post, pois uma das maiores dúvidas atualmente é saber como detectar a gripe suína. Hoje em dia qualquer espirro já é de dar medo..eheheh
É preciso conhecer ezatamente os sintomas da gripe suína, e como ocorre a infecção.
Ótima matéria.

Aproveitando a oportunidade, gostaria de agradecer mais uma vez o apoio do blog ao movimento "Espalhe Uma Vida Melhor".
Grande incentivo.
Se fosse possível, ajude-nos a divulgar a campanha também através de um post no Mediskina. Uma ótima forma de estimular outros blogs a, assim como você, espalharem uma vida melhor.
Abraçosss

mano maya kosha disse...

parabéns pela iniciativa, informação de forma precisa ...

Carolina Rosa MD disse...

Já fiz o post sobre o Movimento Espalhe um Vida Melhor,brevemente estará aqui no blog.

Anônimo disse...

Só falta agora os próprios médicos colaborarem e deixar essa impáfia de usar avental e estetoscópio no pescoço nos restaurantes pensando que é desfile de moda, assim evitam de levar a contaminção tanto de dentro como de fora dos hospitais.

Carolina Rosa MD disse...

Infelizmente não só os médicos mas outros profissionais da área da saúde também usam o jaleco ou a roupa do centro cirúrgico fora dos hospitais.

Anônimo disse...

hola! Eu realmente gostei deste blog

Postar um comentário

©2008-2011 Mediskina: Aqui a gente brinca mas ensina Medicina | by Carolina Rosa

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO